Um número crescente de estudantes chineses procuram estágios no exterior

//Um número crescente de estudantes chineses procuram estágios no exterior

Um número crescente de estudantes chineses procuram estágios no exterior

This post is also available in: en fr es de ru it da nl

Guo Nana, de 21 anos, é sénior da Shandong University of Technology. Em agosto de 2016, ela morou durante um mês no Camboja para participar de uma organização não governamental chamada E-tuk Education. O aluno disse ao Global Times que esperava que esta experiência pudesse expandir sua visão mundial, além de adicionar um destaque ao seu currículo.

Como Guo, Su Xin, de 17 anos, que estuda na Escola de Língua Estrangeira de Chongqing, também voou para o exterior para participar de um estágio em um clube profissional de futebol espanhol, o Villarreal, em fevereiro de 2017.

“Eu sou fã de futebol e adoro fazer tudo relacionado ao futebol”, disse Su. “Eu também quero estudar gestão do esporte no meu futuro, então este estágio foi perfeito para mim. Por isso, tentei o meu melhor para conseguir a chance”.

Outro entrevistado, Lin Xuanyi, de 22 anos, da província de Guangdong, passou duas semanas na Índia a participar da Bubber Handicrafts, fabricante especializada em produzir e exportar artesanato tradicional indiano. Lin disse que seu propósito era simplesmente experimentar o ambiente de trabalho em outros países.

Cada entrevistado apontou que eles não são o único aluno em sua escola que internou no exterior. “Há cada vez mais alunos que estiveram ou querem internar no exterior e nossa universidade está nos encorajando a conquistar oportunidades de estágio globais”, disse Guo ao Global Times.

Para ganhar uma posição de estágio no exterior, os entrevistados disseram que tiveram que preparar documentos e participar de entrevistas em linha. Guo aplicou-se apenas a uma empresa; Ela primeiro enviou uma auto-apresentação e currículo para a empresa.

“Eu também tive uma entrevista em inglês via WhatsApp com a equipe de recrutamento da empresa. O entrevistador me fez algumas perguntas sobre meus planos de carreira e minha compreensão sobre seu trabalho”, disse ela, acrescentando que vários dias após a entrevista, ela recebeu a oferta da empresa via e -enviar.

Apesar das novas experiências que eles ganharam no exterior, os jovens estudantes também tendem a encontrar uma série de desafios novos e inesperados. Su, por exemplo, descobriu que aprender um novo idioma era bastante difícil para ela.

“Eu não podia falar espanhol, então eu só usei o inglês. Mas os espanhóis falam inglês com um forte sotaque, então foi difícil para mim entender o que eles estavam tentando dizer”, disse Su.

Os sentimentos semelhantes foram ecoados por Guo, que descobriram que os cambojanos não são muito bons em inglês, especialmente os idosos e os filhos. Ela, portanto, teve que confiar principalmente em tradutores ou linguagem corporal simples.

Além das barreiras linguísticas, Guo acrescentou que não poderia se acostumar com o clima quente do Camboja e muitas vezes sofria de insolação. “Mas, dia após dia, comecei a me instalar”, acrescentou.

Quanto a Lin, ele disse que as diferenças culturais entre a Índia ea China foram o maior desafio para ele. “Eu não fiz muita pesquisa sobre a cultura indiana antes de ir lá, e isso causou grande problema para mim. Devido a uma falta básica de conhecimento dos costumes sociais da Índia, cometi alguns erros culturais embaraçosos”, ele riu.

Ele acrescentou que a Índia tem uma “cultura do partido”, que não era adequada para uma personalidade tímida e introspectiva como a dele, o que também fazia com que seus colegas indianos fossem um pouco estranhos.

Tong Ting Hung, de 26 anos, é o diretor-gerente da MCD Education Consulting Limited, que ajuda os estudantes chineses a solicitar postos de estágio no exterior. Ele disse que muitos estudantes chineses acreditam que as empresas estrangeiras tendem a ter “requisitos rigorosos” para os candidatos chineses, mas a verdade é que novas atitudes globais, de fato, tornaram mais fácil para eles.

“Através da minha comunicação com empresas estrangeiras, eu aprendi que a maioria das corporações estrangeiras espera que um estagiário apaixonado que esteja disposto a aprender e se comunicar”, disse Tong ao Global Times. “Os candidatos não necessitam necessariamente de performances acadêmicas excepcionais, mas devem ter boas habilidades de comunicação em inglês, como se espera que funcionem em um ambiente inglês”.

Tong acrescentou que, antes de partir, os alunos deveriam realizar alguns preparativos básicos e essenciais, como aprender sobre a situação do clima local de qualquer país e estado em que vivem, estar preparado para experimentar novos alimentos e estar disposto a se adaptar aos costumes locais em para encaixar.

“Eu também pedirei aos alunos que imprimam sua oferta de estágio, pois eles podem precisar dessa informação ao passar pela alfândega. Comprar seguro pessoal também é importante no caso de algo inesperado acontecer no exterior”.

By | 2017-11-21T23:14:34+00:00 outubro 15th, 2017|notícias de Hangzhou|0 Comments

About the Author:

Leave A Comment